BambaVambaWamba

Peroviseu_21Jul / Castelo Novo_22Jul

“Três actores e um palco vazio. A evocação do mesmo rei, perpassando uma paisagem cultural ibérica pelo mito revisitado de Bamba (Vamba ou Wamba - c. 643-687/688 DC). Mito fundacional, revelador da circunstância humana, ontem como hoje. Um período muito concreto da história política peninsular, onde o teatro, enquanto arte do espectáculo, só pode contribuir para a sua universalidade. É este o desafio da Estação Teatral, quando se busca sempre o compromisso de que uma nova encenação se estabeleça, antes de mais, como um dispositivo que só pode funcionar em conexão directa com o público, no reconhecimento de que o teatro se desdobra num verbo que, na verdade, são dois: ver-fazer. São doze anos de actividade explorando uma linguagem integral que possibilite afirmar esta arte do espectáculo como uma manifestação viva, ante a complexidade e os desafios de um Século XXI que redefine, por exemplo, algo tão híbrido quanto o estatuto do agente e do espectador." (Nuno Pino Custódio

Dramaturgia e Encenação: Nuno Pino Custódio
em co-criação com Pedro da Silva, Roberto Querido e Tiago Poiares
Apoio dramatúrgico: Pedro Miguel Salvado
Espaço e Figurinos: Estação Teatral
Dispositivo cénico: Pedro Novo
Desenho de luz e montagem: Pedro Fino
Produção: Alexandre Barata
Cartaz e design de comunicação: Hugo Landeiro Domingues
Fotografia: Miguel Proença
Actores: Pedro da Silva, Roberto Querido e Tiago Poiares