Circo no Ato (Bra.)

A Salto Alto - Entre gentilezas e exterminios_26.08_22h00 (Moagem)

A Salto Alto - Entre gentilezas e extermínios conta a história de sete pessoas sem nada no bolso, mas com o corpo cheio de camadas de liberdade, repressão, valores, colonização e transgressão, que ao terem acesso a uma outra maneira de viver se despem das suas experiências para vestir essa outra realidade. Mas, como a camada mais profunda de si mesmo sempre permanece, o que é visto em cena é um mergulho dos personagens num ambiente de luxo e ostentação, do qual nitidamente não fazem parte. O espectáculo desenrola-se a partir dessa tensão, entre um ambiente formal e refinado e personagens que carregam na sua essência a irreverência de quem tem que reinventar e re-significar a vida a cada instante.
A Salto Alto profana a fábula clássica da Cinderela, e aproxima-se da estrutura da crónica argumentativa, tendo como principal crítica a vaidade e o consumismo desenfreado da nossa sociedade. Os arquétipos da fábula, tais como a fada madrinha, a madrasta, as irmãs invejosas, o príncipe, a Cinderela, assim como o grande baile, as badaladas da´ meia-noite e o sapato de cristal são elementos que atravessam os personagens e todo o espaço cénico e que compõem a crítica social do espectáculo.
Direção: Circo no Ato e Roberto Magro \ Colaboração de Direção: Gustavo Ciríaco \ Direção de Cena: Maíra Maneschy \ Artistas Criadores (elenco): Carol Costa, Cássia Cristina, Luís Fernando Martins, Mário Martins, Natássia Vello, Rafael Garrido e Rodrigo Ceribelli \ Direção Musical: Raquel Coutinho \ Composição: Raquel Coutinho, Jongui e André Valle \ Figurinos: Zoé Martin-Gousset \ Dramaturgia: Diogo Liberano \ Iluminação: João Gióia