TeatroAgosto 2014

Propositario Azul

Auto da Barca do Inferno

Março 2015

30 Agosto 2014, 22h
n'A Moagem- Cidade do Engenho e das Artes, Fundão

Num cais situado algures entre o mundo dos vivos e o destino final dos mortos, chegam, em desfile, um conjunto de personagens-tipo representativas da sociedade portuguesa do século XVI que, deparando-se com as barcas do Inferno e do Paraíso, são encaminhadas para uma ou para a outra na razão direta da conduta que tiveram ao longo da vida.
Três actores desdobram-se para levar à cena a obra de Gil Vicente mas a distância temporal que os separa daquelas personagens e da sua linguagem fazem-nos encarar a representação como um jogo em que a inevitabilidade é o recurso derradeiro para revelar o quão próximo de nós e da nossa realidade pode estar este texto. Nesta abordagem, o texto é assumido em toda a sua especificidade, integralmente e sem a facilidade errónea da adaptação contemporânea de vocabulário ou expressões; em lugar de figuras de colorido artificial e infantil – visão fantasiada e estereotipada das figuras da Idade Média –, tenta dar-se vida a personagens de forte recorte teatral a partir do exercício de imaginação que o actor partilha com o espectador, quando em cena estabelece com ele uma relação direta, humana, presencial.
-
Texto: Gil Vicente \ Dramaturgia e encenação: Nuno Nunes \ Cenografia e figurinos: Ana Limpinho \ Desenho de luz: Rui Alves \ Interpretação: Rita Lucas Coelho, Sara Cipriano, Vítor Nunes \ Desenho de esgrima: Carlos Pereira \ Consultadoria, recolha de materiais e
caderno pedagógico: João Frazão \ Assistência de produção: André Tenente \ Produção: Propositário Azul, associação artística

Ajidanha

À Deriva

Agosto 2014

29 Agosto 2014, 22h
n'A Moagem- Cidade do Engenho e das Artes, Fundão

O projecto de teatro “À Deriva” consiste numa adaptação livre do texto teatral “Em Alto Mar” de Slawomir Mrozek, a partir do qual se pretende criar uma dramaturgia própria, uma linguagem cómica e visual, capaz de dialogar com a profunda crise de valores (sociais e institucionais) em que o país, e o mundo, estão mergulhados. “À Deriva” conta-nos a história de dois homens e uma mulher perdidos em alto mar, após o que se julga ter sido uma catástrofe natural. O enredo da peça gira em torno da maneira como estes três náufragos, circunscritos ao espaço de uma balsa (jangada) e ao mesmo tempo rodeados pela imensidão do mar, enfrentam o problema da fome. As três personagens principais, Gordo, Médio e Magro, uma vez que os mantimentos acabaram, fazem tentativas de campanhas eleitorais, alianças, investidas políticas, apelo ao auto-sacrifício, numa série de pequenos e significativos eventos para justificar uma escolha fundamental: quem deverá ser comido em prol da sobrevivência. Um espectáculo caracterizado pelo nonsense, pela comédia visual e física, e pela sátira implícita do sistema social e político que muitas vezes se revela absurdo e profundamente injusto.
-
Encenação e dramaturgia: José Carlos Garcia e Nádia Santos \ Cenário e figurinos: Criação colectiva \ Desenho de luz: Bruno Esteves e José Carlos Garcia \ Operação de luz e som: Bruno Tapadas \ Produção executiva: Rui Pinheiro \ Produção: Ajidanha \ Interpretação: Ana Grilo, Bruno Esteves e Rui Pinheiro

comicINcontinenti

Come quando fuori piovi

Agosto 2014

24 Agosto 2014, 22h
n'A Praça Velha, Fundão

Baseado em temas tradicionais da Commedia dell’Arte, este espectáculo original foi especialmente composto por Antonio Fava para a companhia de teatro “comicINcontinenti”.
Este espectáculo envolve uma proliferação de personagens e caminhos estilísticos diferentes que vão desde tipos clássicos da Commedia do norte e do sul da Itália, tais como: Doutor, Pantalone, Apaixonados, Zanni, Polchinelo, entre outros tipos de personagens (sátiros, sacerdotisas, vestais...).
Valorizando a improvisação como método e transparência cénica de uma técnica, cada actor pode alternar, com frequência e de forma rápida, de personagens, claro, como na Commedia tradicional, não se pouparão os momentos musicais!
-
Direcção: António Fava \ Acrobacia: Marcela Domeniconi \ Organização: Dina Buccino \
Interpretação: Elena Alex Coll, Andrew Crupi, Mariana Dias, Ferruccio Fava, Andrea Iarlori, Ugo Maurino, Marco Nanetti
*(O espectáculo é falado em inglês, italiano e português)

One Woman Company

Caja de Musica

Agosto 2014

Caja de Musica

23 Agosto 2014, 22h
n'A Moagem- Cidade do Engenho e das Artes, Fundão

A rotina diária leva a que uma boneca elabore um plano de fuga da sua caixa de musica, do qual, obviamente, seremos todos cúmplices e participantes.
“Não é teatro, não é dança, não é circo... é, simplesmente, de morrer a rir”
-
Autoria, encenação e interpretação: Salomé Hadji